GOLPE DO FALSO EMPREGO - Jovem tem prejuízo de R$ 30 mil

Por Publicado em:20/05/2022 | Atualizado em:29/11/-0001 46
GOLPE DO FALSO EMPREGO - Jovem tem prejuízo  de R$ 30 mil Foto: print meramente ilustrativo

Vítima foi “contratada” e recebia as orientações pelo aplicativo de mensagens Telegram

Quem utiliza as redes sociais com frequência provavelmente já viu anúncios de ofertas de emprego em que é possível trabalhar “de casa” ou fazendo quase nada, tudo pela internet e ganhando muito dinheiro em troca. As mensagens chegam até mesmo pelos aplicativos de mensagens, de números nunca vistos, com garantias de pouco esforço e dinheiro rápido.
Porém a Polícia Militar alerta para mais esta modalidade de golpe: a do falso emprego, que vem gerando prejuízos para as pessoas que buscam uma vaga no mercado de trabalho, especialmente diante do crescimento do desemprego em todo o Brasil.
Em Itatiaiuçu, nesta semana, uma jovem de 20 anos foi vítima desse golpe, quando, segundo seus relatos à PM, ela recebeu uma mensagem em um grupo no aplicativo de mensagens Telegram com um convite para um trabalho com ganhos por comissão de vendas.

Ainda de acordo com a mulher, ela abriu uma conta no endereço virtual https://www.submarino vip/#/pages/regist/index, onde foi induzida a realizar a compra de determinados produtos, que não foram recebidos por ela. A jovem relata também que era orientada pelos supostos contratantes a realizar tarefas em forma de recargas de valores variados, porém os valores eram retirados sem que fosse possível a sua devolução.
Para tais recargas, ela fez PIX (transferências instantâneas de dinheiro) a diferentes beneficiários, todos no Banco Stone IP S/A. Com um prejuízo de aproximadamente R$ 30 mil.

Ao entrar em contato com o seu banco, relatou a moça, o Banco Digital Pic Pay, ela foi orientada a registrar o Boletim de Ocorrência.
O golpe registrado em Itatiaiuçu é semelhante aos que vêm sendo realizados em todo o país, além do Telegram, são usados os aplicativos WhatsApp e Instagram, por exemplo. Por onde são enviados links de acesso para a participação em uma pesquisa que exige documentos pessoais e depósitos em dinheiro.
A orientação geral é para não acreditar em propostas de emprego que exijam pagamento para participar do processo seletivo ou custeio de cursos para a sua contratação, além de direcionamento para sites desconhecidos.

Compartilhe esta notícia