INSEGURANÇA ALIMENTAR Fome atinge metade dos brasileiros durante a pandemia

Por Publicado em:01/12/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 100

Segundo pesquisa, Regiões Norte e Nordeste foram as mais afetadas. Domicílios com autodeclarados pretos ou pardos também

 

Mais da metade dos brasileiros, isto é, cerca de 55,2% dos domicílios, apresentaram algum grau de insegurança alimentar no final de 2020, meses críticos da pandemia. É o que mostra o levantamento da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. A pesquisa destaca que houve um aumento de 54% da fome em comparação com 2018, que registrava 36,7%.
Ainda conforme os dados, 24 milhões de brasileiros, ou 11,5%, viviam em insegurança moderada, quando adultos comem menos do que precisam ou desejam. Outros 19 milhões, cerca de 9% da população, estavam em insegurança grave, quando até mesmo crianças se alimentam com menos do que necessitam.
A pesquisa buscou representatividade da população geral brasileira, identificando que a Região Norte apresentou a maior taxa de insegurança alimentar grave do país, com 18,1% da população, seguido pelo Nordeste (13,8%), Centro-Oeste (6,9%) e Sul/Sudeste (6%).

A pesquisa contemplou a participação de 2.180 domicílios, considerado todas as regiões e áreas urbanas e rurais, sendo 1.662 moradores da área urbana e 518 da área rural. As entrevistas foram realizadas face a face, no período de 5 de dezembro a 24 de dezembro de 2020.
Como esperado, a pandemia afetou negativamente sobre a segurança alimentar das famílias. Para aqueles domicílios em que o morador havia perdido o emprego, a insegurança aumentou 19% ou houve endividamento. Além disso, famílias que receberam auxílio emergencial viviam com insegurança moderada ou grave em proporção três vezes superior à média nacional observada.
Outros fatores podem ser observados na pesquisa, como, por exemplo, o predomínio de pessoas de referência com raça/cor de pele autodeclarada preta ou parda nessa situação. Com maior frequência, inclusive, na região Norte (75,3%). Além disso, a insegurança alimentar grave foi quatro vezes superior entre aquelas com trabalho informal e seis vezes superior quando ela estava desempregada do que para aqueles com situação de trabalho formal.
Foto: Assembleia Legislativa do Espírito Santo
ENEM

Resultado será divulgado em fevereiro

Conforme anunciado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os resultados das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 serão divulgados a partir do dia 11 de fevereiro de 2022. O anúncio foi feito em entrevista coletiva na última segunda-feira, 29, pelo Ministério da Educação (MEC).
Além disso, a expectativa é que o gabarito oficial seja divulgado na próxima quarta-feira, 1°. O desempenho pode ser acesso na Página do Participante, pelo endereço disponível em https://enem.inep.gov.br/participante/#!/.
Já para aqueles estudantes que perderam uma ou as duas provas do Enem, por apresentarem sintomas da Covid-19, podem solicitar a reaplicação do exame. O prazo para o pedido começou na última segunda-feira, 29. A solicitação deve ser feita na Página do Participante, anexando a documentação que comprove o estado de saúde do inscrito.
A reaplicação será nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022, mesma data da aplicação do exame para pessoas privadas de liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade e para os participantes isentos da taxa de inscrição em 2020, que por decisão do Supremo Tribunal Federal, tiveram nova oportunidade de inscrição no Enem.
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Compartilhe esta notícia