ELEIÇÕES SEGURAS - PM reforçada para o pleito

Por Publicado em:29/09/2022 | Atualizado em:29/11/-0001 39

Efetivo terá reforço vindo de Belo Horizonte para auxiliar na garantia da segurança aos eleitores e à votação

O comandante da Polícia Militar em Itatiaiuçu, Sargento Salera, falou à reportagem da FOLHA sobre as medidas de segurança que estão sendo tomadas em relação às eleições do dia 2, domingo. Conforme o militar, o efetivo local recebeu reforço de policiais, vindos de Belo Horizonte, e todo o efetivo local estará nas ruas, até o final do processo eleitoral. Os policiais que reforçam o efetivo vão se concentrar no combate a crimes eleitorais, sendo que os demais policiais vão fazer todo o trabalho de segurança, além das questões ligadas às eleições.
Conforme Salera, um dos problemas que ele entende que deverá contar com muita atenção da polícia é a questão da proibição de entrar na cabine de votação com aparelhos eletrônicos, inclusive telefones celulares, e o fato de estar proibido o porte de arma em até 100 metros das seções eleitorais. “O policial só entrará na seção eleitoral com solicitação do presidente da mesa”, lembrou. Outro fato que deverá ser bastante observado é com relação à liberação de venda de bebidas alcoólicas, “Se não me engano, é a primeira vez que ocorre nas últimas décadas”. Disse o sargento que essa liberação pode gerar alguns problemas.

O sargento, comandante do destacamento local, lembrou também que Minas Gerais foi o único estado que não solicitou reforço da União para garantir a segurança nas eleições. “Os mineiros são ordeiros, pacíficos, e esperamos que permaneçam assim neste período eleitoral, mesmo apesar deste clima acirrado que temos visto Brasil afora”, completou.
Concluindo, o Sargento Salera fez um pedido à população, para que ela exerça seu direito ao voto com tranquilidade e que evite se envolver em questões que podem terminar em discussões mais acaloradas e até vias de fato. “O eleitor deve fazer sua parte, votando com tranquilidade, que nós atuaremos para garantir esse direito democrático a ele e todos nós só teremos a ganhar”, concluiu.

Compartilhe esta notícia