Possível Reinfecção por Coronavírus - Investigação é encerrada pelo SES sem conclusão

Por Publicado em:12/09/2020 | Atualizado em:11/09/2020 591

Por meio de matéria publicada no jornal O Tempo, no dia 8 de setembro, a Secretaria de Estado de Saúde – SES de Minas Gerais informou que a investigação da morte do técnico de enfermagem Libério Tadeu Fonseca Pereira, de 22 anos, de Itatiaiuçu, como suspeita de reinfecção por coronavírus, foi encerrada sem conclusão.

Como divulgado anteriormente pela FOLHA, Libério trabalhava no Hospital Manoel Gonçalves, em Itaúna, e foi infectado em abril, testando negativo posteriormente e novamente negativo em junho, quando teve complicações e morreu no dia 6 de junho, na Casa de Caridade onde estava internado – dois dias depois de sua mãe, Edriana de Fátima Pereira Fonseca (foto), de 44 anos, que também havia sido infectada pela Covid-19 e a sofria de uma rara doença autoimune, também faleceu.

A SES explicou ao jornal O Tempo que são considerados casos suspeitos de reinfecção “aqueles em que os pacientes voltam a apresentar sintomas em período igual ou superior a 90 dias após a primeira confirmação laboratorial da doença. Essas pessoas devem ser testadas por RT-PCR e, em caso de resultado positivo, as amostras das duas infecções devem ser enviadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed), que fará o sequenciamento genético para verificar a presença de mutações, conforme o novo protocolo do Estado”.

Porém, no caso de Libério, o laboratório privado descartou a primeira amostra coletada, o que impossibilitou a continuidade da investigação. Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde de Itatiaiuçu afirmou que o laboratório não deu o retorno para a prefeitura, que aguarda também retorno do coordenador da Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis para mais informações.

“As duas amostras são imprescindíveis para fazer o sequenciamento genético e avaliar se o vírus da primeira infecção é diferente do da segunda infecção (neste caso, serão observadas mutações genéticas que diferenciarão ou não os vírus)”, destacou ainda em nota a SES.

Novas suspeitas

Também no dia 8, a SES divulgou que possui três pacientes em acompanhamento com suspeita de reinfecção por coronavírus no Estado. A primeira reinfecção, como frisa a Secretaria, foi confirmada por pesquisadores chineses, em um homem que teve a doença novamente quatro meses e meio depois da primeira. Nesta situação ficou provado que as duas cepas do vírus são diferentes, comprovando a reinfecção.

Última modificação em Sexta, 11 Setembro 2020 15:45

Compartilhe esta notícia